domingo, 21 de novembro de 2010

O Pensamento Político - Rousseau


5) O Pensamento Político - O Movimento das Luzes, A Soberania do Povo e a Liberdade - Séc XVIII
Por Roberto M.S. Carnier

Dentre todos os filosofos iluministas, Jean Jacques Rosseau, nascido em Genebra em 1712, não se enquadra perfeitamente nos ideais iluministas. Pensador crítico e bastante polêmico lanço as bases para a democracia moderna, influenciando: Os Setores radicais da Revolução francesa, tida como a Esquerda durante a Revolução francesa, e os princípios do Romantismo e idealismo do século XIX, presenciados no nacionalismo e ideais do homem ideal.

Enquanto Voltaire e Montesquieu expressavam os ideais da burguesia francesa, Rousseau representou o pensamento das camadas populares da época ( ITAUSSU).

Favor, quanto a análise da sociedade do século XVIII ler artigos de John Locke e Montesquieu
A Filosofia de Rousseau

Primeiramente, Rousseau inicia um questionamento da Sociedade e do poder político do século XVIII, governada pelos reis absolutos e pelo Antigo Regime. Seu objetivo em sua obra " Do Contrato Social" era investigar a legitimidade da Sociedade e do Poder Político.

Em que condições é legítimo obeder ao poder?

Quais as condições para a liberdade da sociedade?

Como é possível conjugar liberdade com obediência?

Como é possível colocar as leis acima dos homens?

A PArtir dessas indagações ele , através dos conceitos do Estado natural, Contrato Social e Estado de Sociedade ele ainda complementa

A Ausência da Liberdade na Sociedade: Para Rousseau, a liberdade é a base da condição humana, o que nos torna dignos. Perder a liberdade é perder a dignidade humana. Se o rei está acima de todos, então a sociedade está totalmente ausente da mesma.

O Que legitima a sociedade : É o contrato social. A Sociedade é feita de um acordo: A Garantia legal da liberdade.O Governo só surge após de estabelecido o pacto, o contrato social. A Liberdade natural, do homem livre na natureza, transformada em Liberdade civil.

A Legitimidade do Pacto Social: Como a base da sociedade e garantia da liberdade;
conciliar o homem e a liberdade natural (utopia), um ponto de partida, com o homem social ( real).


De Acordo com Rousseau " O Homem nasce livre e por toda a parte encontra-se aprisionado". Na essência, a liberdade do homem é plena. Quando ele se insere na socieda sua liberdade se torna relativa. ( O Sentido da frase é que, dentro de uma sociedade onde o contrato social não garante a liberdade, devido ao Absolutismo presente.)

O Contrato social, portanto, fixa a vontade geral, o bem comum.

A Liberdade pode ser classificada como:

> Natural = É física ou moral - limitada pela própria força.
> Civil = É moral, limitada pela vontade geral expressa na Lei.

O Corpo político:

O Povo é soberano, através da soberania popular. É o único a determinar o funcionamento do poder político.

O Cidadão:

Participa ativamente do corpo político. Ao elaborar as leis que expressam a vontade geral, ao obedecer as leis, obedece a si mesmo: a liberdade civil.
Aquele que faz a lei para benefício próprio corrompe o conceito de cidadania, pois não pensa no bem comum e na comunidade. - A Teoria bate de frente com o Absolutismo, propondo uma sociedade governada pela soberania popular.

A SOBERANIA

Pertence ao povo. O Corpo político da sociedade. É indivisível e absoluto

O GOVERNO:

Serve como um corpo intermediário, a serviço da soberania do povo.

A LEI: Expressa a vontade geral, garantindo Justiça e Liberdade.

O LEGISLADOR:
Não é o soberano, manda nas leis e não nos homens,


A POLÍTICA: o bem comum acima dos interesses particulares,

O VÍCIO ESSENCIAL DE GOVERNO:

governo contra a soberania
a vontade particular acima da vontade geral,
a corrupção de qualquer forma de governo



Bibliografia

> Historia Moderna e Contemp. - Leoneol Itaussu A. Mello
> Evolução do Pensamento Político, Aula de Graduação de Administração de Empresas, FAAP - Ministradas pelo professor Fernando Gurgueira
> Visual History of the World - National Geographic
> History - DK

Um comentário: